Colégio Objetivo Júnior é agora um Produtor de Energia Renovável

Kit Lancheira Feliz – O Novo Kit Lancheira Saudável!
9 de agosto de 2018
Lista de Material 2019
7 de dezembro de 2018
Consciente de seu papel de educar pelo exemplo e alerta aos problemas ambientais enfrentados por nosso planeta, o Colégio Objetivo Júnior instalou 220 placas solares em suas unidades. O Colégio torna-se, assim, um centro de energia solar fotovoltaica, suprindo toda sua necessidade energética nas unidades Cidade Jardim e Centro Cultural Esportivo. A energia gerada é equivalente à consumida por 35 casas. É tanta energia que o Colégio pode ser considerado o maior gerador de energia solar de Pirassununga e região.
A instalação foi realizada pela empresa de ex-alunos Eduardo e Matheus Testoni, Tecasa Energia Solar. Ambos completaram o ensino no Colégio desde a Educação Infantil. Além de se tornar um Colégio Sustentável, ter ex-alunos contribuindo para o futuro de nosso Colégio é motivo de grande orgulho!

Parabéns, Eduardo e Matheus!
Além deste grande projeto, ex-alunos vêm, cada vez mais, impactando o futuro do Colégio Objetivo Júnior:
A ex-aluna Gabriela Bonganha, arquiteta, foi responsável pelo projeto da nova frente do Colégio;
O ex-aluno Matheus Schmidt construiu o novo site do Colégio;
A ex-aluna Gabriela Meliscki foi responsável pelo acompanhamento do projeto Kit Lancheira Saudável, na qual nossas crianças recebem um lanchinho equilibrado durante o intervalo;
O ex-aluno Rafael Lima é responsável pelo projeto Google for Education, em que todos os nossos alunos recebem um email @objetivojr e realizam tarefas online.
 

Aprenda mais sobre geração de energia

O crescente emprego da tecnologia para facilitar nossas vidas, aliado ao aumento da população, nos fez consumir mais energia para satisfazermos nossas necessidades diárias. Contudo, ainda utilizamos fontes esgotáveis para produção de energia elétrica. Em 2014, 66% de toda energia elétrica do mundo foi gerada através das termoelétricas movidas a carvão, gás natural ou petróleo, os chamados combustíveis fósseis. De acordo com o engenheiro mecatrônico Thales Freitas, esses combustíveis são utilizados para produzir vapor, que movimentará turbinas contendo geradores responsáveis por transformar a energia rotacional em elétrica. Confira o processo na figura abaixo:
 
No Brasil, 70% da energia total gerada em 2014 veio das matrizes hidroelétricas. Apesar de produzir energia de forma renovável, sua instalação causa impacto ambiental considerável. Após a instalação da barragem, a região ao redor inunda-se ocasionando a morte de grande parte da fauna e flora local. Além disso, a usina retarda o fluxo de água do rio, resultando na morte de uma parte da vida aquática do local. Segundo Thales, a geração por meio de hidrelétricas é análoga para as usinas não renováveis, mas ao invés de os combustíveis produzirem o vapor, utiliza-se a queda d’agua para mover as turbinas, e estas converterem a energia rotacional em elétrica. Confira a animação abaixo:
 
Outras formas de energia que causam impactos menores que a proveniente das hidrelétricas no seu aproveitamento são: energia solar, energia eólica e energia proveniente da biomassa. Essas fontes causam um impacto ambiental muito menor que as provenientes dos combustíveis fósseis e hidrelétricas. A energia solar é obtida através das placas fotovoltaicas, que convertem a energia do sol em elétrica a partir de um material semicondutor. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica, apenas 0,75% do total da energia gerada no Brasil provém das placas solares, o que vai de encontro com nosso potencial - nosso país tem a maior taxa de irradiação do mundo.
É nosso dever conscientizar nossos alunos e pais para contribuirmos para um mundo mais sustentável.
 
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×